Connect with us

Notícias

Auxílio emergencial: Aumenta número de reclamações da demora na análise do pedido

Publicado

Em

Auxílio emergencial: Aumenta número de reclamações da demora na análise do pedido
Imagem: Cris Faga/Estadão Conteúdo

pandemia de covid-19 tem gerado grande impacto na economia dos mais diversos países do mundo. Na tentativa de conter a rápida transmissão da doença, líderes mundiais foram obrigados a estabelecer uma série de medidas como o isolamento social, o fechamento de fronteiras e de estabelecimentos comerciais.

O Governo Federal liberou R$ 600,00 a ser repassado durante três meses para trabalhadores informais auxílio emergencial de R$600,00, que será repassado durante três meses, muitas dúvidas acerca do assunto surgiram.

A Caixa Econômica Federal já registrou mais de 30 milhões de cadastros para receber o auxílio emergencial.

Reclamações

Muitos que solicitaram o auxílio emergencial tem reclamado da demora na análise do pedido. Para muitos ao verificar a situação aparece a mensagem (Em análise).

VOCÊ PODE GOSTAR:  Bradesco: Lucro cai 39,8% e vai a R$ 3,75 bilhões no 1º trimestre com provisão bilionária por coronavírus

De acordo com o Gauchazh, o superintendente regional da Caixa, explicou que haverá atualização nesta quinta-feira (16). Ele afirma que os dados dos cadastrados para receber o auxílio emergencial são encaminhadas ao Dataprev, que analisa e cruza todas as informações para verificar se a pessoa tem direito ao benefício.

A Caixa recebeu de volta esse primeiro lote de análise, cerca de 16 milhões dos mais de 36 milhões de cadastros realizados até as 17h de ontem (quarta). Por isso, para muitas pessoas, já vai mudar para “aprovado”, “rejeitado” ou “reprovado” disse.

O que é analisado no cruzamento de dados:

●  Se a pessoa trabalha de carteira assinada ou não (consulta nos dados do DataPrev);

VOCÊ PODE GOSTAR:  Embraer dispara mais de 12% com otimismo sobre mudanças na aviação pós-pandemia

●  Se recebe seguro desemprego;

●  Se a renda ultrapassa três salários mínimos;

● Se a mulher que marcou que é mãe chefe de família (que para o Governo é considerada mãe solteira) é solteira mesmo ou não;

● Se a conta que a pessoa cadastrou de outro banco para receber o auxílio é dela mesmo ou é de outra pessoa.

Veja mais: Auxílio Emergencial: Pedido em analise vai receber os R$ 600?

Compartilhar: