Connect with us

Dinheiro

Pix terá novos recursos antifraudes

Publicado

em

O Pix terá novas funcionalidades de segurança para melhorar as informações utilizadas na prevenção de fraudes.

Pix terá novos recursos antifraudes

As mudanças visam aprimorar dois recursos disponíveis para as instituições participantes do Pix: a “notificação de infração” e a “consulta de informações de segurança”. O Banco Central já havia indicado em dezembro do ano passado que seriam implementadas alterações para fortalecer a segurança do sistema contra fraudes e vazamentos de dados.

As medidas entrarão em vigor em 5 de novembro deste ano, pois exigirão ajustes nos sistemas, tanto do Banco Central quanto das instituições participantes do Pix.

Veja as alterações:

Notificação de infração

A funcionalidade de notificação de infração permite que as instituições marquem as chaves e os usuários sempre que houver suspeita de fraude na transação.

Segundo o Banco Central, esse registro será aprimorado com a adição de novos campos, que permitirão especificar a razão da notificação, como golpe, estelionato, invasão de conta, coação, entre outros.

Além disso, o recurso identificará o tipo de fraude cometido, como abertura de conta com falsidade ideológica ou empréstimo indevido de acesso para cometer fraudes, conhecido como “conta laranja”.

Veja também:  Qual o rendimento da poupança hoje: 16/09/2021

Consulta de informações

A outra funcionalidade aperfeiçoada é a consulta das informações de segurança armazenadas no contexto do Pix.

O Banco Central reformulou os dados disponibilizados às instituições para análise antifraude de transações Pix, fornecendo acesso a um conjunto mais relevante de informações. Isso inclui, por exemplo, a quantidade de infrações do tipo “conta laranja” ou falsidade ideológica relacionada a usuários ou chaves Pix, a quantidade de participantes que aceitaram notificação de infração daquele usuário ou chave, a quantidade de contas vinculadas a determinado usuário, entre outros.

Além disso, as informações serão apresentadas em períodos maiores, de seis meses a até cinco anos. A consulta pode ser feita pelas instituições através da chave Pix ou pelo usuário (CPF/CNPJ), 24 horas por dia, todos os dias do ano.

Compartilhar:

Tendência