Connect with us

Mercado de Ações

Ibovespa interrompe sequência de altas pressionado por Petrobras

Publicado

em

Ibovespa interrompe sequência de altas pressionado por Petrobras

SÃO PAULO (Reuters) – O principal índice da bolsa brasileira caiu nesta segunda-feira, com a queda do petróleo aliada a um movimento de correção em ativos domésticos, após oito altas consecutivas, enquanto o avanço em Wall Street ajudou a limitar perdas.

Ações da Petrobras cederam diante da baixa vertiginosa nas cotações do petróleo, com após novas restrições contra Covid-19 na China. Além disso, no fim da tarde, notícia sobre potencial interferência do presidente Jair Bolsonaro na companhia pressionou ainda mais os papéis.

Frigoríficos estiveram entre os destaques de alta.

Ibovespa caiu 0,29%, a 118.737,78 pontos. O volume financeiro da sessão foi de 22,5 bilhões de reais – nas últimas cinco sessões, o montante havia ficado entre cerca de 26 bilhões e pouco mais de 30 bilhões de reais.

Stefany Oliveira, chefe de análise de trading na Toro Investimentos, diz que o Ibovespa não teve direção única, mas prevalecendo um movimento de correção após consecutivos ganhos.

“Até para que o movimento comprador continue, precisamos ver um cenário de correção. Se essa correção não acontecer e o Ibovespa andar de lado, isso prejudica o mercado comprador”, disse ela. O dólar subiu ante o real, também interrompendo sequência de quedas, enquanto os principais contratos de juros futuros voltaram a recuar.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Americanas amarga perdas de R$ 3,5 bilhões em valor de mercado com sites fora do ar

Em Nova York, o Nasdaq avançou 1,3%, liderando alta entre os principais índices acionários.

O mercado aguarda para terça-feira, na Turquia, a primeira reunião presencial em mais de duas semanas entre representantes de Ucrânia e Rússia. Apesar dessa sinalização, um oficial sênior dos Estados Unidos disse que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não parece pronto para fazer concessões, enquanto representantes da Ucrânia também não esperam grandes avanços.

Além disso, o mercado aguarda por dado de emprego nos EUA nesta semana, que pode ajudar a calibrar apostas para o aperto monetário no país.

DESTAQUES

– PETROBRAS PN (PETR4) caiu 2,2%, em meio à queda de quase 7% do petróleo Brent, com temores de menor demanda na China na esteira de restrições em Xangai por Covid-19. Além disso, o presidente Jair Bolsonaro decidiu que Joaquim Silva e Luna não deve continuar como presidente da Petrobras, disseram duas fontes a par da situação à Reuters. A ação acelerou a queda após a notícia inicial de que Bolsonaro decidiu tirar Luna, divulgada pela Veja, mas recuperou-se parcialmente.

– VALE ON (VALE3) teve dia volátil e subiu 0,1%, com o minério de ferro subindo à máxima de sete meses na China, após injeção de recursos pelo governo para garantir liquidez nos mercados, contrapondo o pessimismo com maiores restrições por Covid-19 em Xangai. A mineradora disse que acordos individuais pelo caso de Brumadinho superam 3 bilhões de reais.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Receita disponibiliza programa do Imposto de Renda 2020, sem reajuste da tabela

– MARFRIG (MRFG3) subiu 4% e BRF (BRFS3) avançou 2,3%. O setor teve sessão positiva, com altas de 1,6% da JBS (JBSS3) e de 3,7% de MINERVA, em meio à alta do dólar, o que beneficia empresas com operações no exterior.

– SANTANDER BRASIL UNIT (SANB11) teve queda de 1,5% e liderou perdas entre os grandes bancos.

– LOCAWEB ON cedeu 4,6%, após o Bradesco BBI rebaixar a recomendação da ação de “outperform” para “underperform”. A companhia divulgou resultados trimestrais na passada. O Bradesco BBI previu que as margens da Locaweb (LWSA3) vão se recuperar apenas em 2023.

– ENAUTA ON, que não está no Ibovespa, caiu 5,9% depois de informar que não foi constatada a ocorrência de hidrocarbonetos no poço exploratório 1-EMEB-3-SES.

– RESTOQUE ON saltou 16,3%, após o Brazil Journal publicar que credores da varejista de vestuário propuseram uma troca de dívida por ações envolvendo 1,5 bilhão de reais.

(Por Andre Romani)

Informações Reuters

Compartilhar:
Advertisement

Estamos no Google News

Google news

ÚLTIMAS NOTÍCIAS