CONECTE-SE CONOSCO

Crypto

Vira-lata Finance ($REAU) valorizou mais de 56.000% em menos de uma semana

Publicado

em

Vira-lata Finance ($REAU) valorizou mais de 56.000%

Lançada no último dia 21 de março a moeda criada em tom de brincadeira (meme) Vira-lata Finance ($REAU) valorizou mais de 56.000% em menos de uma semana.

A corretora de criptomoedas Brasil Bitcoin anunciou na última quarta-feira, (31), que iria listar a moeda Vira-lata Finance ($REAU). Já nesta quinta-feira, (01), a Brasil Bitcoin não suportou a quantidade de negociações e ficou fora do ar.

Segundo a corretora “A comunidade de $REAU tem um feito histórico: conseguiu literalmente, derrubar a Brasil Bitcoin. Nem no topo histórico do Bitcoin ficamos sequer um segundo fora do ar. Pedimos desculpas, sabemos o quão isso é incoveniente, mas foi algo que nós não prevíamos.

Thiago Nigro, dono do canal de investimentos Primo Rico, tentou seguir Elon Musk que tweetou sobre o Dogecoin e fez a moeda disparar. Nigro comentou em seu twitter “Reau? Au au”.

Segundo os desenvolvedores da Vira-lata Finance metade de todos os tokens gerados foram adicionados à liquidez, e que 1% em staking é distribuído entre os detentores a cada transação.

Melhor do que DogeCoin?

Vira-lata Finance ($REAU) adotou o slogan “Melhor do que DogeCoindeflacionáriasegura e autossustentável.” Dogecoin (DOGE) nasceu como meme e hoje os americanos podem usá-las através de caixas eletrônicos.

A CoinFlip, uma das maiores que atuam nos Estados Unidos, anunciou Dogecoin em todos seus caixas eletrônicos. A empresa afirmou que sua missão é tornar criptomoedas mais acessíveis a todas as camadas da população

Dogecoin nunca foi realmente planejado para ter muito valor intrínseco. Ao contrário do Bitcoin, não há limite para quantos DOGE serão distribuidos, o que significa que o valor da moeda pode diminuir à medida que mais moedas entrarem em circulação. A rede da Dogecoin é baseada no código do Litecoin, que foi derivado do código do Bitcoin. 

Compartilhar:

Ações Mais Procuradas

Siga-nos no Google News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Siga-nos no Twitter

Receba notícia atualizadas