CONECTE-SE CONOSCO

Empresas

Venda de rede móveis da Oi preocupa governo e caso vai parar na Anatel

Publicado

em

O governo acredita que a venda das redes móveis da Oi pode gerar impacto direto na competição e concorrência do setor de telecomunicações

Venda de rede móveis da Oi preocupa governo e caso vai parar na Anatel

O governo encaminhou o caso à Anatel (agência nacional de telecomunicações) afim de apurar a possibilidade de infração da ordem econômica.

Ofício do deputado Elias Vaz (PSB-GO) sobre a venda da rede móvel da Oi por R$ 16,5 bilhões, em operação realizada em dezembro de 2020.

O deputado sugeriu ao Ministério das Comunicações instauração de procedimento administrativo junto à Anatel para apurar passível infração e prejuízo aos usuários.

Cresce movimento contrário à divisão da Oi Móvel

A operadora Algar Telecom, vem tentando suspender leilão da Oi Móvel, acusando o consórcio formado pelas rivais Tim Participações, Telefônica Brasil (Vivo) e Claro Telecom Participações, de infringir a lei, ao assinar a compra da Oi Móvel.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Oi é só pepino afirmou Eurico teles ao comunicar sua saída da empresa

A Tele mineira acredita que o negócio pode gerar monopólio, violando as regras de concorrência previstas na Lei n° 12.529/2011 e acusa as principais operadoras de agirem sem autorização prévia do Cade.

Outras três entidades já tiveram aval para acompanhar de perto o processo. São elas: Sercomtel, as associações empresariais TelComp e Neo (que representa os provedores de pequeno e médio porte) e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Analistas do setor acreditam que aquisição dos ativos móvel da Oi por Claro, TIM Brasil e Vivo, poderia aumentar os preços dos serviços reduziria investimentos.

Ações da Oi desabam na Bolsa de Valores

No acumulado de 2021, os papéis OIBR3 passaram de R$ 2,48 para R$ 1,01, uma queda de 54,09%, enquanto os ativos OIBR4 foram de R$ 2,98 para R$ 1,68, uma queda de 40,42%.

Compartilhar:

Ações Mais Procuradas

Siga-nos no Google News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Siga-nos no Twitter

Receba notícia atualizadas