Connect with us

Mercado de Ações

Oi: Ações fecham a semana em alta após relatório do Credit Suisse

Publicado

Em

Oi: Ações fecham a semana em alta após relatório do Credit Suisse

Na última quarta-feira (15), o Credit Suisse divulgou um relatório afirmando que as ações da operadora Oi estão muito baratas, elevando a recomendação que antes era de venda para neutra.

O preço-alvo para (OIBR3) foi reduzido de R$ 0,70 para R$ 0,50, os analistas da CS afirmam que o preço atual da ação corresponde a 13% do valor patrimonial da empresa, ou seja, se a empresa vendesse todos os bens iria pagar muito mais dinheiro aos acionistas do que vale a ação.

As projeções para a receita líquida e Ebitda foram cortadas em 4% e agora o risco de alta “em cenários otimistas para fusões ou aquisições começa a ser tão grande quanto o risco de baixa”, acrescentam os analistas.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Oi na Bolsa de Valores: ações fecham a semana em queda de 12,17%

Na última sexta-feira (17), as ações OIBR3 fecharam o dia em alta de (+3,12%) no valor de R$ 0,66 terminando a semana com valorização de (+31,85%).

Ações da Oi pode subir 200%

Isso é o que pensa a Toro investimentos, a equipe de analistas da toro recomenda compra dos papéis da Oi (OIBR3) e acredita que as ações da Oi irão subir 200% no longo prazo.

Os analistas destacam que a Oi atua em todo o Brasil via concessões em telefonia fixa com a maior presença entre as operadoras. Portanto, pode usar sua rede para distribuir outros produtos de valor agregado.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Oi Fibra chega a São Paulo com expectativa de atender 2 mi de clientes até 2022

Operadoras querem a Oi

As operadoras Vivo e Tim já confirmaram real interesse na rede móvel da Oi a confirmação foi através de fato relevante. As duas teles manifestaram ao assessor financeiro do grupo Oi, o Bank of America Merrill Lynch, “interesse em iniciar tratativas com vistas a uma potencial aquisição, em conjunto, do negócio móvel da Oi, no todo ou em parte”.

Veja também: As ações mais indicadas em abril mesmo com a crise por pandemia do coronavírus

Compartilhar: