CONECTE-SE CONOSCO

Empresas

Algar Telecom gera EBITDA 14,5% maior e soma R$ 270 milhões

Publicado

em

Mesmo em um ano impactado pela pandemia, companhia teve crescimento de 3,5% na receita líquida, puxado principalmente pelo B2B, segmento que teve 20% de alta no número de clientes

Algar Telecom gera EBITDA 14,5% maior e soma R$ 270 milhões

A Algar Telecom, empresa de telecomunicações e TI do Grupo Algar, divulgou nesta quinta-feira (13) os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2021. A companhia fechou o período com crescimento tanto nas receitas quanto no lucro, mesmo em um ano com efeitos do prolongamento da crise sanitária. Em relação aos investimentos, foram R$ 121 milhões (R$ 137 milhões se considerados os contratos de arrendamento mercantil, conforme o IFRS16) destinados, majoritariamente, à conexão de novos clientes.

O lucro líquido foi de R$ 58 milhões, 30% superior aos R$ 45 milhões do 1T20. O Lucro antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (EBITDA) recorrente somou R$ 270 milhões, número 14,5% maior do que o registrado no ano passado, com margem de 45%. Contribuíram para esse resultado a expansão das operações dos clientes B2B e as ações de digitalização, com foco na melhor experiência do cliente e na maior eficiência operacional.

A receita líquida atingiu R$ 595 milhões, um crescimento de 3,5% puxado principalmente pelo B2B, prioridade estratégica que segue como principal vetor de crescimento da organização. O segmento já representa 63% de toda a receita da Algar Telecom e teve um acréscimo de 20% no número de clientes, com alta de 21% nas Micro e Pequenas Empresas (MPE) e 13% no corporativo. Sozinho, o B2B teve receita de R$ 376 milhões, valor 9% superior ao primeiro trimestre de 2020. Esse resultado teve peso significativo dos produtos TIC, que cresceram 43% e hoje respondem por 12% das receitas do segmento. As receitas de dados e voz cresceram, por sua vez, 1,3% e 3,1%, respectivamente.

No varejo, a empresa teve receita líquida de R$ 219 milhões, queda de 5,2%. A baixa é fruto da decisão tomada pela companhia, no final de 2020, de descontinuar seus serviços de TV paga diante do cenário de preferência dos clientes por novas formas de consumo de conteúdo, com impacto positivo para a rentabilidade do negócio. Excluindo a receita de TV do ano anterior, as receitas do segmento cresceram 1%, impulsionadas pelos serviços de banda larga e SVA, que mais do que compensaram a redução de 17% das receitas de voz, em contínua queda em todo o setor.

A receita de banda larga fixa e móvel, no entanto, totalizou R$ 115 milhões, um acréscimo de 8% no comparativo com o mesmo período do ano anterior. O número de acessos banda larga em fibra no varejo atingiu 400 mil no 1T21, alta de 27% em relação ao 1T20, e passou a representar 79% de todos os acessos por banda larga do segmento B2C. Os investimentos realizados na expansão da rede de fibra óptica nos últimos anos levaram a 867 mil domicílios passados (homes passed) e 439 mil domicílios conectados.

LEIA TAMBÉM:  Cogna Educação registra prejuízo líquido de R$ 168 milhões no 4º trimestre

Os resultados seguem comprovando a resiliência da Algar Telecom, apesar do desafiador contexto da Covid-19. “Conseguimos bons resultados porque tomamos decisões estratégicas que se mostraram acertadas no período de pandemia, como uma gestão de caixa muito ativa. Colocamos as pessoas em primeiro lugar e temos feito uma gestão diária junto aos clientes mais afetados neste momento crítico, desde o começo da crise”, comenta Tulio Abi-Saber, vice-presidente de Finanças, Relações com Investidores e Jurídico da Algar Telecom.

Para 2021, além da ativação de novos clientes, os planos da companhia envolvem a retomada da expansão das redes para novas regiões geográficas e áreas adjacentes. “Estamos atentos às oportunidades estratégicas para conquistar novos mercados e confiantes quanto ao nosso potencial de crescimento, que é resultado direto do nosso DNA Gente Servindo Gente, do relacionamento próximo com o cliente, dos amplos investimentos em inovação e do compromisso com a adoção das melhores práticas de ESG”, acrescenta o executivo.

Um exemplo prático disso é que, conforme Fato Relevante publicado em 8 de maio, a Algar Telecom celebrou um contrato para a compra da Vogel Telecom, aquisição alinhada à estratégia de crescimento com foco no segmento B2B. A complementariedade entre as redes propiciará, além de relevantes sinergias operacionais, a entrada imediata da companhia em novas localidades geográficas, a adição das micro e pequenas empresas dessas regiões à sua carteira de clientes e a disponibilização de seu portfólio TIC aos clientes corporativos, tanto atuais quanto futuros.

Além disso, a Algar Telecom acaba de ser reconhecida como a “A Melhor Telecom no Guia Exame ESG 2020”. “Nos últimos seis anos, avançamos em nosso plano estratégico dobrando o EBITDA, a geração operacional de caixa e o lucro líquido. Creditamos parte importante desse resultado à robustez da nossa estrutura de governança e ao ambiente de inovação que incentivamos, juntamente com nossas iniciativas nos eixos ambiental e social”, conclui Tulio.  

Veja também:

Compartilhar:

Ações Mais Procuradas

Siga-nos no Google News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Siga-nos no Twitter

Receba notícia atualizadas