Connect with us

Mercado de Ações

Braskem: Ações saltam mais de 7% com Odebrecht vendendo fatia

Publicado

em

Braskem: Ações salta mais de 7% com Odebrecht vendendo fatia

Por Gabriel Codas

Investing.com – Na parte da manhã desta segunda-feira, as ações da Braskem (BRKM5) operam com ganhos, com desempenho superior ao do Ibovespa. A alta ocorre depois que a Odebrecht iniciou atos preparatórios para estruturar um processo de alienação privada de até a totalidade de sua participação na petroquímica, empresa da qual é controladora junto com a Petrobras.

Por volta das 14h37, os papéis somavam (7,05%) a R$ 25,04, a maior alta do Ibovespa depois de CSN (CSNA3). Após abrir em alta, com máxima em 103.511 pontos, o Ibovespa operava estável, com leve alta de 0,07% a 102.847 pontos.

“A Braskem vem comunicar aos seus acionistas e ao mercado em geral que recebeu, nesta data, correspondência enviada por sua acionista controladora, Odebrecht S.A (“ODB”), informando que, em cumprimento a compromissos assumidos com credores concursais e extraconcursais, a ODB deu início aos atos preparatórios para estruturar um processo de alienação privada de até a totalidade da participação de sua titularidade na Companhia”, disse a Braskem em comunicado enviado na noite de sexta-feira,

Segundo o comunicado, a Odebrecht adotará “as providências necessárias para organizar um processo dessa natureza, com o apoio de assessores legais e financeiros”.

Veja também:  Veja o ranking das melhores ações do Ibovespa na semana

A Odebrecht comunicou a Braskem sobre a iniciativa na sexta-feira à noite e mandatou o Morgan Stanley para assessorá-la na operação. Já Petrobras (PETR4), segunda maior acionista da Braskem, também planeja vender suas ações, em operação que pode se dar no Novo Mercado da B3.

Uma das estratégias para valorizar o passe é buscar junto à Odebrecht ampliar os poderes de sua fatia e aprimorar a governança corporativa da petroquímica. No mercado, há expectativa crescente de que a companhia possa ser transformada em uma corporação “pura” a partir da venda das ações detidas pelas duas maiores acionistas em bolsa.

O Valor informa que o valor de mercado da Braskem é de cerca de R$ 18,6 bilhões, bem abaixo dos R$ 48 bilhões que chegou a valer no auge das negociações entre Odebrecht e Lyondell. Nesses termos e sem considerar prêmio de controle, a Odebrecht levantaria R$ 7,1 bilhões com a venda da totalidade de sua participação. O grupo baiano tem 38,3% do capital total da Braskem e 50,1% do votante. A Petrobras tem 36,1% das ações, e 47% das ONs.

Compartilhar:

Tendência