Connect with us

Notícias

Bank of America eleva Brasil para ‘overweight’ em portfólio da América Latina

Publicado

em

Bank of America eleva Brasil para 'overweight' em portfólio da América Latina

(Reuters) – Estrategistas do Bank of America elevaram para “overweight” a exposição a ações brasileiras em seu portfólio para América Latina, de acordo com relatório nesta sexta-feira, com rebaixamento do Chile para “underweight”.

“Tendo em vista as melhores perspectivas de crescimento e ruído político em outros países da região, estamos movendo o Brasil para overweight (de marketweight)”, afirmaram David Beker e equipe.

“A maior volatilidade nos mercados globais e o sentimento de euforia continuam sendo os principais riscos”, ponderaram.

Eles afirmaram que o seu foco é a reabertura no Brasil por meio de nomes de alta qualidade. “Gostamos do varejo tradicional, distribuição de combustível, construção e pagamentos.”

O BofA acrescentou Natura&Co (NTCO3) novamente em seu portfólio da América Latina (já estava no portfólio Brasil), bem como aumentou a exposição a grandes bancos já na carteira – Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e também Banco do Brasil (BBAS3) no portfólio Brasil.

VOCÊ PODE GOSTAR:  WhatsApp oferecerá compras dentro do aplicativo e serviços de hospedagem em nuvem

Eles apostam na recuperação macro, dinâmica de lucros, valuation barato e desempenho inferior desde o início da pandemia. “Embora as histórias de reabertura e ações dos bancos tenham se recuperado amplamente no mês passado, elas continuam atrasadas desde o início da pandemia.”

A equipe do banco norte-americano também disse que continua mais cautelosa em setores de maior risco, como serviços, companhias aéreas e shopping centers. Por fim, adicionou Energisa (ENGI4), buscando exposição à recuperação econômica do Brasil, enquanto BRF (BRFS3) saiu após a alta recente.

Também afirmaram que continuam gostando de investimentos relacionadas à inflação conforme o mundo se reabre (commodities, Hypera (HYPE3), Carrefour (CRFB3)).

VOCÊ PODE GOSTAR:  Confira a "Black Friday das ações" segundo corretora

Beker e equipe afirmaram manter a alocação em Vale (VALE3) citando o valuations, e que estão expostos ao petróleo por meio da Ecopetrol, bem como adicionaram Petrobras (PETR4) no Brasil à medida que o ruído político diminui. Também continuam com Grupo México, pois gostam da exposição aos preços do cobre.

Eles removeram a exposição à celulose devido à falta de catalisadores de curto prazo (excluindo Klabin (KLBN11) no Brasil e a CMPC no Chile.

Na região, o corte do Chile a “underweight” (ante “overweight”) ocorre após os resultados das eleições constitucionais e locais naquele país. México manteve a recomendação “overweight”, assim como Colômbia continuou com marketweight.

(Por Paula Arend Laier)

As informações são da Reuters

Compartilhar:

Siga-nos no Google News

Siga-nos nas Redes Sociais

Ações Mais Procuradas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Receba notícia atualizadas