Connect with us

Dinheiro

Argentina supera 100% de inflação pela primeira vez desde 1991

Publicado

em

A hiperinflação não chegava a esse patamar desde 1991.

Argentina supera 100% de inflação pela primeira vez desde 1991
(Photo by JUAN MABROMATA / AFP)

A Argentina registrou a segunda maior inflação da América Latina. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) aumentou acima do esperado, resultando em uma taxa de inflação anual de 102,5%.

O impacto da espiral de preços está sendo sentido pelos argentinos, que estão tendo dificuldades para comprar produtos básicos devido à falta de dinheiro. Uma aposentada de 74 anos, Irene Devita, disse que os preços mudam quase semanalmente, o que torna difícil para as pessoas manterem-se atualizadas.

O Observatório Financeiro da Venezuela (OVF), um órgão que não está ligado ao governo de Nicolás Maduro, previu que a taxa de inflação mensal alcançou 20,2% no último mês, com um acumulado de 67,7% desde janeiro e uma taxa anualizada de 537,7%, maior do que os 440% de janeiro.

Inflação na América Latina

Enquanto a Argentina e a Venezuela têm sofrido com a inflação crescente, países da região como Bolívia e Chile tiveram quedas de 0,4% e 0,1%, respectivamente, em fevereiro, e altas de 2,6% e 11,9% nos últimos 12 meses.

Veja também:  Caixa paga Auxílio Brasil a beneficiários com NIS final 8

O Equador teve um aumento de 0,02% no mês e 2,9% no ano passado, e o México 0,3% e 7,7%, respectivamente. No Paraguai, a inflação foi de 0,5% no mês passado e 6,9% em um ano; no Brasil 0,7% (em sua medição quinzenal) e 5,6%, e no Uruguai 1% e 7,5%.

A Bolívia continua sendo o país com a menor inflação anual do ano passado: 2,6%, após ter registrado uma queda de 0,4% em fevereiro.

De olho no dinheiro do Brasil

O presidente argentino Alberto Fernández expressou sua admiração pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) do Brasil, afirmando que a Argentina sente “inveja” do banco público brasileiro.

Ele e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva compartilham a mesma visão sobre o papel dos bancos públicos, e Fernández sugeriu que o BNDES faça financiamentos. “É uma ferramenta de crescimento sensacional que soube ser aproveitada durante longos anos”, disse ele.

Recentemente, Lula elogiou a economia da Argentina, afirmando que a Argentina terminou 2022 em uma situação privilegiada. Mas em 2022, a Argentina registrou 94,8% de inflação.

Google news

Com informações Infobae

Compartilhar:

Tendência