CONECTE-SE CONOSCO

Crypto

Alta de 4.000%: criptomoeda Cardano se torna 5ª maior

Publicado

em

Alta de 4.000%: criptomoeda Cardano se torna 5ª maior

Segundo a plataforma de inteligência de dados criptográfica Coinmetrics, os endereços ativos da ADA cresceram 417,81% entre 1º de janeiro a 28 de abril de 2021, destacando o crescente interesse na criptomoeda.

Consequentemente, as transações aumentaram 382,84% no mesmo período. A Coinpedia prevê que Cardano poderá atingir US$ 10 até o final do ano. 

De acordo com dados da CoinGecko, ADA subiu 47.5% nos últimos 30 dias e 4000% no período de um ano, atingindo ATH de US$ 2,45 em 16 de maio em um momento que o Bitcoin sofre uma queda acentuada.

Cardano agora evoluiu para uma rede de múltiplos ativos, assim como o concorrente Ethereum. A rede robusta aumenta a confiança dos investidores, pois a Cardano está em vias de realizar o sonho de fornecer uma rede escalável e com alta eficiência energética.

ADA é frequentemente comparado ao Ethereum, pois é o token nativo de uma rede que permite o estabelecimento de aplicativos descentralizados. No geral, a atualização ofereceu à Cardano uma oportunidade de tirar proveito dos desafios causados ​​pelo congestionamento na rede Ethereum.

O desenvolvimento da rede provavelmente aumentará o preço da ADA a novos níveis superiores, conforme os casos de uso e a adoção da rede aumentam. Os dApps (Aplicativo descentralizado) serão fundamentais para o crescimento da criptomoeda cardano.

Cardano

Cardano é um token usado para pagar taxas e usar como forma de pagamento. Uma plataforma blockchain descentralizada de terceira geração, semelhante a importantes blockchains como Ethereum. 

No entanto, Cardano é diferente de outros blockchains já que os desenvolvedores usam pesquisas científicas revisadas por pares como blocos de construção para atualizações, para garantir que todas as alterações feitas sejam úteis e escaláveis.

Compartilhar:
LEIA TAMBÉM:  Ethereum 2.0 não é páreo para Cardano, diz Charles Hoskinson

Ações Mais Procuradas

Siga-nos no Google News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Siga-nos no Twitter

Receba notícia atualizadas