CONECTE-SE CONOSCO

Criptomoedas

Banco central da china afirma que Stablecoins impõem riscos ao sistema monetário internacional

Publicado

em

Banco central da china afirma que Stablecoins impõem riscos ao sistema monetário internacional

O banco central da China está “bastante preocupado” com a expansão global de criptomoedas privadas e, especialmente, de stablecoins.

Esse é um dos motivos que a china está hostil à indústria de criptomoedas e tem intensificado suas ações, indo atrás de mineradores de Bitcoin e proibindo o uso de criptomoedas. Embora as autoridades locais afirmem que isso foi resultado direto de questões ambientais, pode haver outra razão por trás das restrições de criptografia.

O vice-governador do banco central da China expressou preocupação com o fato de que as moedas digitais, principalmente as stablecoins, possam impactar negativamente o sistema monetário internacional. Além disso, ele descreveu as criptomoedas como “ferramentas de especulação”.

O analista financeiro e chefe global de estratégia de ações da Jefferies, Christopher Wood argumentou que a superpotência asiática impôs a repressão ao bitcoin e outras criptomoedas recentemente apenas para abrir caminho a sua própria moeda o yuan digital.

VOCÊ PODE GOSTAR:  Volumes de negociação de criptomoedas caem mais de 40% em junho

Christopher acredita que a China não se preocupa com as emissões de CO2 e o meio ambiente, como pode ter afirmado antes. O objetivo das autoridades é neutralizar a concorrência para o CBDC entrante:

“Certamente, os aspectos descentralizados da tecnologia blockchain, que é tão atraente para os libertários que se opõem às moedas fiduciárias como monopólios estatais, é a antítese completa do sistema coletivista da China. A República Popular da China entende isso claramente. Esta é certamente uma questão muito mais importante para Pequim do que os aspectos de geração de carbono da mineração de bitcoin. ”

Google news
Compartilhar:

Ações Mais Procuradas

Siga-nos no Google News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Siga-nos no Twitter

Receba notícia atualizadas