Connect with us

ações

Grupamento de ações

Publicado há

em

Grupamento de ações

O que é “Grupamento de ações”?

O grupamento ocorre quando duas ou mais ações viram uma só. Este processo serve para melhorar a liquidez e os preços das ações quando estas estão cotadas a preços muito baixos no mercado.

Também conhecido como inplit, o termo significa agrupar várias ações em uma. Nesses casos, mesmo estando com mais ações, o valor do patrimônio do acionista não é modificado, já que o preço é alterado na mesma proporção.

Ex.: uma empresa com ações cotadas na bolsa a R$0,25, com lote padrão de 100 ações, aprova em assembléia geral que fará um agrupamento na razão de 10 para 1, quem possuía 1.000 ações, agora terá 100 e o preço do ativo será multiplicado por 10 (passando a valer R$2,50 neste exemplo).

Qual objetivo no grupamento

–> Tentar diminuir a volatilidade dos ativos.
–> Planejamento estratégico da companhia e suas práticas de governança.

As cotações de suas ações podem estar intimamente ligadas à percepção de valor da empresa por parte dos investidores.

Efeitos do grupamento

Existe uma pretensão por parte da empresa de que apos Grupamento de ações, a volatilidade das ações também possa cair. Porém, é fato que os fundamentos da empresa não deixaram de ser piores ou melhores apenas pelo grupamento da mesma.

Ou seja, a probabilidade de a ação continuar caindo ainda é grande.

Querendo ou não, o grupamento só serve mesmo para “juntar” as ações da empresa, de forma igual e proporcional, reduzindo a quantidade de ações no mercado.

Regulamento da B3

Em 2015, a B3 editou uma norma para acabar com as “penny stocks”. Pela regra, as empresas cujas ações estiverem operando há 30 pregões consecutivos com um valor unitário menor que R$ 1,00 são notificadas pela Bolsa e precisam informar essa “intimação” ao mercado via fato relevante. A partir daí, o prazo para divulgar o que será feito para resolver o problema é de 15 dias. 

Além disso, a partir da notificação, a companhia tem seis meses ou até a assembleia geral ordinária das demonstrações financeiras do ano em que se tornou “penny stock” para se adequar às novas regras. Se não o fizer, suas ações terão a negociação suspensa pela Bolsa e, se 30 dias depois desta suspensão a companhia ainda não conseguir voltar a valores superiores a R$ 1,00 por papel, a B3 determinará a exclusão do papel.

Continue lendo

Tendência