Connect with us

Empresas

Oi e Tim vão se unir? AT&T vai comprar a Oi? como noticias influencia manipulação dos papeis Oibr3 e Oibr4

Publicado há

A bola da vez é a empresa Oi. Todos os dias estão espalhando noticias para influenciar mercado. E quem ao menos tem um pouco de experiencia no mercado financeiro, sabe que essas noticias são usadas para influenciar mercado.

Isso fez com que a suspeitas de manipulação nas ações da Oi seja investigadas pela CVM.

Oi tinha anunciado prejuízo de R$ 3,3 bi no 4º trimestre, os papeis da empresa na B3 desabaram, as coisas pioraram quando foi especulada uma possível intervenção.

Depois surgiu a especulação que o presidente da AT&T, em encontro com o presidente Bolsonaro, apresentou seus planos de aquisição da Oi.

Agora, o senado aprovou novo marco legal para teles, que pode dar um gás para empresa se recuperar, não podemos esquecer que a empresa está em recuperação judicial.

A noticia que espalham agora é uma possível Fusão Oi e TIM, mas será que isso é verdade? ou é outra noticia plantada para movimentar as ações da empresa?

Por quê estão falando sobre a fusão Oi e TIM?

O fato é que, quando em 2014, especulou-se uma possível união, o presidente da Telecom Italia (a TIM da Itália) deixou bem claro que isso não aconteceria até que houvessem mudanças nas leis que regulamentam as empresas que oferecem telefonia fixa.

Então, em junho de 2016, a Oi entrou com um pedido de recuperação judicial, pois acumulava uma dívida de R$ 65 bilhões, dos quais R$ 20 bilhões correspondem a débitos para com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Portanto, enquanto isso não fosse resolvido, nada poderia ser feito.

Em 17 de março de 2018, o plano de recuperação judicial da Oi foi aprovado e há indícios de que as regulações nesse setor sofram mudanças, tornando as obrigações das provedoras de telefonia fixa mais flexíveis.

No dia 27 de março de 2018, a Oi e a TIM assinaram um memorando que planeja um compartilhamento de infraestrutura, podendo ser um sinal sobre possíveis negociações futuras.

Por isso, o assunto sobre uma possível fusão ou até mesmo a compra de uma pela outra voltou a ser comentado e, inclusive, esperado por investidores. Caso a opção de compra seja a escolhida pelos presidentes das operadoras, a TIM (compradora) ajudaria a Oi (comprada) a arcar com as suas dívidas.

Mesmo com o fato de algumas recomendações e indicações de corretoras para compra dos ativos OIBR3 E OIBR4, vale salientar que a situação atual da empresa requer muita atenção e os riscos são eminentes.

Tendência