Connect with us

ações

Oi: Ações ordinárias caem -4,12% e Oi luta para superar R$1,00 real

Publicado há

em

Ações ordinárias OIBR3 caíram -4,12% e preferenciais OIBR4 -1,39%

As ações ordinárias da Oi (OIBR3) fecharam em queda de 4,12% nesta quinta-feira (10), negociadas a R$ 0,93. Já os papeis preferenciais (OIBR4) caiu 1,39%, vendidos a R$ 1,42.

Intensa especulação na Oi

Nas ultimas semanas, após aprovação da lei das telecomunicações, começaram a surgir noticias sobre uma possível venda da operadora para à concorrência.

Nenhuma das noticias foi confirmada, o que houve na verdade, foi varias negativas.

Oi: Ações ordinárias caem -4,12% e Oi luta para superar R$1,00 real

Grupo TIM

Grupo TIM afirma que não há no momento negociações para aquisição de ativos da Oi

O posicionamento se refere a nota do jornal O Estado de S. Paulo, de que, segundos fontes, além da espanhola Telefônica, a Oi também estaria negociando com a Telecom Itália, dona da operadora TIM,

 Chinesa Huawei

A Oi ficou mais atrativa a potenciais compradores com a aprovação do novo marco das teles pelo Congresso. livra a tele de uma série de custos e obrigações que eram vinculados às antigas concessões de telefonia fixa da empresa. Fato foi negado pela empresa

AT&T 

Americana AT&T afirmou que não tem planos para a compra da brasileira. Após noticias sobre possível interesse na Oi.

Telefónica, América Móvil e TIM, Juntas..

O Jornal espanhol Expansion, noticiou, que a Telefónica estaria negociando uma parceria com América Móvil e TIM para comprar a Brasileira Oi. Fato também foi negado.

As sequências de noticias referente a operadora Oi parece não animar os investidores da empresa por esse motivo a ação ordinária luta para superar R$ 1,00.

Abaixo de R$1,00, as ações podem ser classificadas como “penny stocks”, expressão em inglês com origem nos EUA que teria um significado semelhante a “Tostões” em português.

As regras da B3, é que as empresas não podem ter preço de fechamento de suas ações abaixo de R$ 1,00 por 30 pregões consecutivos. A regra, de 2015, estabeleceu prazos para que as empresas com ações classificadas como penny stocks revertam a situação.

Caso isso aconteça, a empresa vai receber uma notificação da B3 e informar imediatamente ao mercado sobre ela por meio de fato relevante.

Após ser notificada, a companhia tem 15 dias para apresentar um plano de ação e informar ao mercado as medidas que serão tomadas para modificar a situação e o prazo de cumprimento.

Se o plano não for apresentado, a empresa fica sujeita à aplicação de multa pela B3.

VEJA TAMBÉM: Ação da Oi (OIBR3) entra nos centavos e corre risco de Grupamento

Tendência