Connect with us

ações

A Venda da Oi para Claro, Vivo e TIM, poderia ser barrada pelo Cade

Publicado há

em

Essa semana foi especulada a noticia de um possível interesse das 3 maiores operadoras do brasil para compra conjunta da Oi.

A compra da Oi pela Claro, Vivo e TIM para fatiamento, poderia ser barrada pelo Cade

De volta as especulações no ativo (OIBR3), (OIBR4). Agora, o jornal espanhol Expansion, noticiou, que a Telefónica estaria negociando uma parceria com América Móvil e TIM para comprar a Brasileira Oi.

Porém, se isso for verdade, o negocio poderia ser barrado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Mesmo que a imprensa espanhola tenha falado neste possível acordo entre TIM,VIVO CLARO, no ponto de vista legal, este tipo de negociação não seria bem visto, mesmo após a analise do Marco Legal de Telecomunicações, que foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, na sexta-feira (04).

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) não vinha demonstrando simpatia com a concentração do mercado de telecomunicações brasileiro, ao menos, antes da mudança de membros da organização.

Para o CADE, a diminuição de quatro para três grandes operadoras de telefonia, no Brasil, impacta diretamente na questão da concorrência.

Isso poderia afetar a qualidade do serviços prestados pelas operadoras de telefonia.

O próprio (CADE) já havia exposto opinião parecida quando a Claro adquiriu a Nextel pelo valor de US$ 905 milhões.

De qualquer forma, nada impede que uma nova lei seja elaborada, para que esse tipo de acordo entre Vivo, Claro e Tim seja concluído.

Uma possível falência da Oi deixaria mais de 2 mil cidades sem internet ou telefone, isso acendeu o alerta do governo federal e principalmente dos acionistas da empresa. O governo acelerou aprovação da Lei das teles para dar um alivio para a Oi.

A Recuperação judicial da Operadora Oi se iniciou em 20 de junho de 2016, com base na Lei de Recuperação Judicial e Falências.

O pedido foi deferido em 29 de junho de 2016 pelo juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro.

Tendência